Curta nossa página e fique bem informado com os informes e estudos cristãos.

Curta-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Assine os Feeds Entre em contato

Noticia: Pastor troca grupo de louvor por DJ em culto

MARCIORRAMOS OFICIAL | 14.8.13 | 0 comentários


Primeiramente eram somente as vozes e palmas, depois surgiram os instrumentos para acompanhamento. Durante séculos eram o gigantescos órgãos de tubo, que foi substituído pelo piano de cauda, que perdeu espaço para teclado, guitarra e bateria, que agora vê surgir o DJ no louvor.

DJ? Sim, se depender do pastor da Igreja Batista em Clarendon, na capital dos EUA Washington. Ele convidou para comandar o período de adoração o Disc Jokey Hans Daniel, ou Hans Solo, como era conhecido quando tocava nos clubes de Atlanta.
O culto de domingo (11) foi o primeiro do tipo na Igreja de 104 anos, que ainda mantém os vitrais coloridos e os bancos de madeira típico dos templos mais antigos. Nada além de um notebook, uma cantora para “puxar” o louvor e as palmas e um homem apertando botões freneticamente.
Contando com apenas 125 membros, a igreja se viu perdendo membros ano após ano e decidiu investir em algo que possa atrair os mais jovens.   O pastor Stephen Taylor foi quem teve a ideia de promover o que ele chama de “Remix da igreja”. Algo que, no primeiro momento, agradou a muitos, mas não ficou isento de críticas.
Para o DJ Daniels, trata-se de uma evolução natural, uma vez que os jovens americanos não escutam mais rock em casa, hoje o predomínio é da música eletrônica. Algumas igrejas já têm usado músicas no estilo hip-hop, que também tem um apelo mais popular. Porém, abdicar do grupo de louvor que tradicionalmente ocupava o espaço antes da pregação é um salto e tanto.
O local atrás do púlpito, onde ficava o coral, anos atrás, agora está vazio.  O DJ toca sua seleção musical, enquanto as letras dos cânticos é projetada numa tela. Muitos batem palmas, outros olham desconfiados.
Durante o sermão do dia, o pastor Taylor lembra que o cristianismo é na essência um rompimento, Jesus rompeu com a tradição do culto judaico no templo, com seus sacrifícios e ofereceu algo novo.  Questionado do que achou da experiência, o DJ Daniels disse apenas: ”Quando as pessoas estão cantando na igreja, muitas vezes não estão nem olhando para a tela, seus olhos estão fechados, elas só querem se conectar com Deus”.
Jackie Doll, 81 anos, é membro da igreja há mais de meio século. Diz estar acostumada com as mudanças lá, mas tem medo que esse tipo de coisa faça os fieis sentirem-se em um show de música.
Por outro lado, Sean Hipe, 23 anos, comemora. “Foi incrível”, para ele foi algo que o despertou, evitando que o clima fosse de tédio.  Com informações Washington Post, Gospel Prme e blog mroberto


Category:

0 comentários

AS MAIS MAIS....DO PÚBLICO

CONFIRA TAMBÉM

Fechamento do Dólar nos últimos dias

Recommended Post Slide Out For Blogger